domingo, 29 de novembro de 2009


Muitos desses dias, em todos esses anos, tanto eu tento sempre mostrar... explicar e entender.
Coisas tão legais eu vivi, por lugares bonitos eu passei, pessoas especiais conheci... e por isso hoje é tão difícil aceitar sentir essa coisa, esse clima solitário e vazio.
Não, nada de frases de emo, nem essas coisas de 'garotas frustradas' que odeiam a vida; nunca! Viver é a maior de todas as riquezas que pude receber, o que me confunde é como melhor vivê-la... não quero desperdiçar tempo com coisas que não merecem esse tempo... o tempo é tão precioso...
Mas como fazer? Pra onde ir?
Tantas vezes eu sorrio pra pessoas que nem conheço, e me vejo explicando pra quem não merece o porque de eu querer ser feliz... e as coisas ficam tão confusas.
Ontem assisti um filme, havia partes tão bonitas... senti uma vontade enorme de morar na África... mas, como seria? seria aquela mesma casa que eu vi, o mesmo espaço pelo qual eu me encantei? Provavelmente não, jamais... por que realmente "nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia", e sim, isso sim é um motivo de tristeza, quando se sabe que algo que foi importante jamais voltará a fazer parte de você na realidade.
Quando eu era jovem, achava que poderia abraçar o mundo, tudo que eu fizesse daria certo, o amor existiria e eu não precisaria me preocupar tanto... doce ilusão...
A melancolia do domingo insiste em me dominar... e sinto minhas mão mãos atadas, sem poder reagir, apenas me prostrar.

Ah! O final do filme foi trágico... os negócios da protagonista faliram... o cara por quem ela era apaixonada morreu... e ela foi embora da África...
Nada mais real de se ver...

sábado, 14 de novembro de 2009

The Game

"Love is a game
just meant to be played.
Love is a wish
desired by so many loners.

Love is a drug,
addictive and strong.

The endings are painful,
yet again you will start,
to end with more lies and tears,
and another cruelly broken heart.

Love is an excuse,
an excuse to get hurt."

(from: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=44336977)

domingo, 8 de novembro de 2009

"O meu coração arde como fogo" ...


Soyen Shaku (1859-1919), um roshi, mestre do Zen-Budismo japonês, da escola Rinzai, disse um dia: "Meu coração arde como fogo. Mas meus olhos são frios como cinzas mortas". Ele propôs as seguintes regras de vida:

"De manhã, antes de vestir-se, acenda incenso e medite.
Coma a intervalos regulares e deite-se a uma hora regular.
Coma sempre com moderação e nunca até ficar plenamente satisfeito.
Receba as suas visitas com a mesma atitude que tem quando está só.
E, quando só, mantenha a mesma atitude que tem quando recebe visitas.
Preste atenção ao que diz e, o que quer que diga, pratique-o.
Quando uma oportunidade chegar, não a deixe passar,
mas pense sempre duas vezes antes de agir.
Não se deixe perturbar pelo passado. Olhe para o futuro.
A sua atitude deve ser a de um herói sem medo,
mas o coração deve ser como o de uma criança, cheio de amor.
Ao retirar-se, ao fim do dia, durma como se tivesse entrado no seu último sono.
E, ao acordar, deixe a cama para trás, instantaneamente,
como se tivesse deitado fora um par de sapatos velhos."


(from: http://pt.wikipedia.org/wiki/Zen)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Confiança de que tudo pode ficar bem, apesar da distância... meu coração está seguro.

:):)